"At the end, no winner was declared in the face-off between pens and lenses. And that’s a good thing. Whether with a pen or a camera, the act of recording things visually forces us to pay attention to our surroundings. It helps us see things with new eyes when we take the time to look. And that’s all that matters." Gabriel Campanario, fundador dos Urban Sketchers​

07 novembro 2015

À noite no Museu do Oriente

Deixar-me encantar... e sonhar... e desenhar.

Já conhecia o Museu, embora não tivesse visitado ainda a Exposição Sombras da Ásia, relacionada com o Teatro de Sombras. Fiquei encantada e deixei-me ficar. A ver as figuras que se podem fazer com as mãos e sombras. Encantada por ver as crianças encantadas, e encantada por relembrar as histórias que a minha bisavó nos contava, a mim e aos meus irmãos, nos serões das férias de Verão, quando ainda só tinhamos televisão em Lisboa. Tenho de lá voltar. Também estive algum tempo no piso da Presença Portuguesa na Ásia, cheia de objectos encantatórios. Esta já conhecia, mas descubro sempre objectos novos que me encantam.






O Museu do Oriente é gratuito, todas as sextas-feiras, das 18:00 - 22:00. Facilidade de Estacionamento.

3 comentários:

  1. Adoro os dois primeiros desenhos. São todos eles emoção :)

    ResponderEliminar
  2. São os meus preferidos também ! No primeiro estava mesmo absorvida e encantada, e no outro não resisti ao fascínio de transpor para o papel aqueles reflexos, que serviram também para uma bela foto da Ana Ferreira.

    ResponderEliminar
  3. Ainda no museu vi de relance esse teu desenho, o segundo aqui partilhado, e não o entendi nem sequer consegui identificar o que tinhas desenhado. Seriam leques?
    Quando vi a fotografia da Ana Ferreira fez-se luz.
    Muito interessante.

    ResponderEliminar